PDF Imprimir E-mail
Sex, 19 de junho de 2009 18:35

Luiz Antonio Rotta (médico), Patrícia Rotta (publicitária) e a filha Laís Rotta

 

Luiz - A gente sempre vem ao Mercado quando viemos de Farroupilha, buscar coisas que a gente só encontra aqui. Viemos aqui matar a saudade porque moramos lá, mas somos daqui. Almoçar a gente varia: às vezes um sushizinho, um grelhado, a gente viu agora que tem carnes bem exóticas, rã, javali, já planejamos de ir lá. A minha esposa gosta mais é das raridades. Porque ela faz marzipan, também veio buscar um doce exótico, coisas que a gente sabe que não encontra em qualquer lugar, além de coisas gauchescas.

Patrícia - O marzipan é uma tradição de família. A gente fazia há muito tempo atrás, na páscoa e agora resolvi retomar. Aqui tem uma imensa variedade, principalmente em relação ao interior onde a gente não encontra muita coisa. E o preço aqui também é mais em conta,

 

Sabrina e Sara, irmãs, visitantes, São Paulo

 

Sabrina Correa - Morei no Marrocos, Egito, seis anos. Lá não existe supermercado, existe o mercado pra tudo, comida, roupa. Casablanca e Marrakesh hoje já tem super, mas o resto é tudo tradicional. A melhor maneira de conhecer a cultura de um lugar é conhecer o mercado. Então viemos aqui, para conhecer a cultura, como é que o povo vive. No Egito tem o mercado que é considerado o maior do mundo, Kanã Kalil, onde vendem jóias, papiro, especiarias, frutas secas e onde o povo vai tomar haxixe. Tem muitas luzes, gente encantando cobras. Lá, na cultura árabe, eles gostam de barganhar. Mercado é uma também uma questão de relacionamento.

Sara (morando em Porto Alegre há dois meses) -  Estou gostando do Mercado, é bom pra fazer compra, não é como São Paulo, que é muito grande, mas é legal. Lá eu ia pra passear, fazer turismo. Aqui também faço turismo, mas compro também. Aqui tem qualidade, diversidade, alguns produtos que é muito difícil de achar em outros lugares, produtos marroquinos. Aqui é tranquilo, o povo conversa. Gosto de sentar lá em cima, tomar um café.

 

 

Ojemar e Idalina, casados (visitantes, Rio de Janeiro) e Ronaldo Rio (empresário)

 

Ojemar Pedro Rio (militar) - comprei camarão. Posso fazer de várias maneiras, bobó, um suflê, um risoto. Sou gaúcho, mas passei minha vida toda no Rio de Janeiro e a gente mora na região do camarão que é a região dos Lagos. Trouxe de lá agora, congelado. Mas a safra aqui está muito boa. A gente fazia muito bife de sardinha lá. Venho sempre que tem estas promoções, ou comprar hortaliças. Vou pra cozinha para inventar, não para fazer o trivial

Idalina - gosto muito de camarão. Mas o camarão geralmente e ele quem faz. Aqui tem tudo que tem lado. Chimarrão? Não, não gosto, não...

Ronaldo Rio - Gosto de filezinho de viola, se encontra muito na praia. Aproveitei o precinho do camarão. Aqui o camarãozinho é caro.

 

Elenice Souza (professora)

 

Compro camarão, para fazer um pirão, um risoto. Gosto de fazer ele fritinho também, ao alho e óleo, descascado. Também quando venho no Mercado, compro peixe, champignon, bacalhau.

 

 

 

 

 

Isadora Rinaldi, Franciele Asck e Bruna Signor (Soberanas da RONDILEITE)

 

Franciele Asck (Segunda princesa) - Estamos aqui pra divulgar a 2º Edição da Rondileite, que acontece em Rondinha, no norte do Estado. Que acontece nos dias 22 a 24 de maio.

Isadora Rinaldi (Rainha) - Apesar de ser uma cidade pequena, Rondinha é uma cidade acolhedora e hospitaleira. A gente espera todo mundo de braços abertos. Temos uma bela fonte de água mineral. Vale a pena visitar.

Bruna Signor (Primeira princesa) - O foco da feira é o leite, pois a nossa cidade é uma grande produtora.

Franciele Asck – Teremos também o concurso da vaca leiteira, leilão e exposição da indústria e comércio. Esperamos 15 mil pessoas.

Isadora Rinaldi (Rainha) - A gente já passou pela assembléia, falamos com os deputados. Fomos no correio do povo, Banrisul e agora aqui no Mercado. A gente tá gostando. Aqui é bem movimentando. Gostamos.

Última atualização ( Ter, 19 de outubro de 2010 18:42 )
 
Banner
© 2008 SINTEEPP - Todos os Direitos Reservados